coração

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Tema da pregação: A TEMPESTADE VAI PASSAR!


Missa do 15º. Domingo do Tempo Comum - 13/08/17

Tema da pregação: A TEMPESTADE VAI PASSAR!

Mateus 14,22- Jesus impeliu, obrigou que os discípulos entrassem na barca com o objetivo de atravessarem para outra margem. Aprendo que: ser discípulo é obedecer a Palavra do Senhor. Você conhece um cristão pela obediência às ordens de Deus. Gostamos que o Senhor atenda a nossa vontade no céu mas temos dificuldade de aceitar a vontade de Deus na nossa vida. Quem não obedece a Palavra do Senhor não pode ser chamado de cristão, não recebe milagres. Muitas vezes nos acomodamos e o Senhor nos diz: vá em frente nas tempestades da vida! O objetivo que era passar para o outro lado da margem foi uma ordem, um imperativo. Se Deus disse para você que você vai chegar do outro lado você vai chegar ainda quem em meio às crises e tempestades! Deixa Deus ser o comandante da barca da sua vida, da tua história! Diga comigo: Senhor eu lhe dou o controle da minha vida, da minha barca existencial em vossas mãos. Jesus saciou a fome de cinco mil pessoas. Jesus subiu ao monte para orar e aqui está o fio condutor do Evangelho dessa noite, Jesus gostava muito de falar com o Pai a sós. Os camaradas já estavam no centro da passagem, no olho da tempestade, os ventos eram contrários. Aprendemos mais lições: há um provérbio indiano que diz: não se faz bom marinheiro em águas tranqüilas. Só se faz bom marinheiro em águas tortuosas. Quem empina pipa sabe que ela só sobe se o vento for contrário. Na piracema onde há a desova dos peixes, o peixe nada contra a correnteza para poder desovar. Para você poder vencer na vida tem que aprender a lutar nas tempestades e nos ventos contrários que se apresentam na sua vida e vem para te fortalecer. Se você olhar para trás verás quantas tempestades você já passou e já amadureceu com isso, inclusive alguns machucados que te aprimoraram. Diga comigo: Os ventos contrários me ajudam a ser vitorioso! Quantas coisas não saem como planejamos, quando as tragédias acontecem pensamos que não vamos sobreviver. Pelo cálculo se as 18 horas começa a noite, esses camaradas enfrentaram tempestade de 09 horas, tempo suficiente para começar as seguintes perguntas: - Onde está Jesus que não vem me ajudar? Essa é a pergunta que não quer se calar no coração dos discípulos. Conosco é assim também. Quando os ventos são indomáveis e as ondas são contrárias perguntamos também: por que será que Jesus não me ajuda? A pergunta é : onde está Jesus na hora que mais preciso dele? Você que está passando por um turbilhão e se pergunta isso todo dia: a resposta está no versículo 23 – nas horas mais difíceis da nossa vida Ele está intercedendo por nós! Só existe um intermediário, entre Deus e os homens: Jesus Cristo! (Carta aos Hebreus). Diga comigo: o meu Deus intercede por mim. Você sabe que uma pessoa te ama é quando essa pessoa ora por você! Deus te ama porque morreu na cruz, porque intercede por você e está presente na Eucaristia! Deus é amor!

Os discípulos ficaram com medo porque Jesus andou sobre as águas. O medo gera em nós a ansiedade. Eles ficaram apavorados. Gente medrosa olha para barata e acha que é elefante. Gente medrosa estaciona na vida. Gente medrosa não se arrisca. Quem mais procura atendimento espiritual são aquelas que ficaram a vida toda vendo uma realidade distorcida e não se arriscaram. A velhice chega sorrateiramente. É melhor você se arriscar do que ficar uma vida inteira lamentando aquilo que você não fez! Rubem Alves disse que a única coisa que tem compaixão dele mesmo é ter inventado tantas doenças como inventou...ter deixado de conhecer ruas do seu bairro, ouvido mais o canto dos pássaros... O texto de hoje é muito claro. As vezes vem os fantasmas e não lidamos com a realidade. Deus é o senhor da sua vida! O medo distorce a realidade. Pessoa ansiosa demais precisa procurar tratamento adequado, tem muita dificuldade e vive para o futuro. O futuro depende do seu presente. Só terá arvore amanhã se plantar a semente hoje. Tem gente cheia de potencial, talento, carisma, mas fica contemplando o futuro enquanto talvez a felicidade esteja sentada ao lado. No meio da tempestade, no olho do furacão, essa voz todos reconhecem, a voz de Jesus: NÃO TEMAS, EU SOU! Agora no teu silencio nomeia para mim quais são suas tempestades hoje, quantas e quais são elas? Muitos aqui vão dizer que são tantas quem nem sabem mais enumerar a ordem delas. Hoje dia 13/08/17, as 19:40 horas – o mesmo Jesus que andava sobre as águas está dizendo para você: CORAGEM, EU SOU ESTÁ COM VOCÊ ! O nosso Deus é presente no indicativo. Ele diz: EU SOU! Ele diz EU SOU, não diz eu era... nós somos pretéritos- nós éramos mais jovens, mas Deus não, Ele é imutável! Aquele mesmo que andou sobre as águas está dizendo para mim e para você: EU SOU! EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA! EU SOU O BOM PASTOR! EOU SOU A VERDADEIRA VIDEIRA – disse Jesus em João.
O Deus que andou sobre as águas naquela noite quer andar sobre o teu coração para acalmar as suas tempestades.

Diga comigo: SENHOR JESUS SEI QUE É O MESMO ONTEM, HOJE E SEMPRE. ACALMA MINHA TEMPESTADE PORQUE ESTOU COM MEDO MAS ENTREGO MINHA VIDA EM SUAS MÃOS. Aquela pessoa que recebeu o diagnóstico de um tumor: é uma tempestade! Aquela pessoa que acordou sem ânimo de trabalhar, de viver: começou a depressão, começou a tempestade para ele! Aquele casamento modelo, casal que todos gostam de ter por perto, mas no intimo não se entendem mais: a tempestade começou ali. Aquele filho maravilhoso que se tornou um zumbi no crack: a tempestade começou. No Brasil há 14 milhões de desempregados: a tempestade do desemprego. Quantas pessoas já te abandonaram porque não suportaram a tua dor? O teu Deus está contigo principalmente nas horas tempestivas da tua vida! O amor de Deus é imutável a todas as circunstâncias humanas. Pedro duvidou que era realmente Jesus sobre as águas. Ao mesmo tempo Pedro era atrevido. Se nos formos atrevidos para falar com Deus e o desafiar, Ele também nos desafia. Se prepare! Pedro era manhoso. Jesus não facilitou não. Mandou que Ele saísse do comodismo e fosse. Nós somos assim. Gostamos de ficar na zona de conforto. Quem não gosta de mudanças e desafios se contenta com o minimalismo. Quem não sai do barco não experimenta milagres, não experimenta a glória de Deus! Quanto mais você corre do problema mais o problema corre atrás de você! Enquanto Pedro manteve os olhos fixos em Jesus ele andou sobre as águas. Enquanto você olha para Jesus tudo dá certo. Enquanto você não tira seus olhos de Jesus você sempre será um vencedor! Não tire seus olhos de Jesus! Pedrão tirou os olhos de Jesus e começou a afundar. Quando você tira os olhos de Jesus e coloca nos problemas você permite que o problema te engula. Se tiver 1% de chance lute porque Deus pode reverter 100% em milagres! Quando Pedro tirou os olhos de Jesus e colocou em si mesmo também afundou. Tudo que tenho é parceria: Deus me dá inteligência e eu transformo em talento e trabalho. Quando a pessoa é muito arrogante ela afunda também. Quando Pedro começou a afundar ele reconheceu o senhorio de Jesus. Aprendo aqui que só Deus pode salvar, só Ele pode! A quem você tem pedido socorro para salvar teu casamento, teus filhos, tua história, tua vida??? Que reconheçamos que só Ele é o Senhor da nossa vida. Muita gente só procura Deus quando está para se afogar. O tempo melhor para procurar Deus é quando está tudo certinho, tudo perfeitinho. Você precisa do socorro de Deus na sua vida porque senão os ventos contrários vão derrubar você e seus sonhos!

Pedro era fraco na fé porque duvidou que Deus acalmasse a tempestade. Pessoa fraca na fé duvida do amor e da salvação de Deus. Precisamos avaliar a fragilidade que se encontra na fé. Percebemos que nossa fé é frágil quando acontece tragédia na nossa vida. Achamos que só pode acontecer problemas e tragédias na vida dos outros. Achamos que Deus ama mais a vizinha do que a nós. A gente duvida de Deus e somos ingratos com Ele. O médico por Excelência, Jesus de Nazaré, faz o que papa, bispo, padre nenhum pode fazer: ressuscitar e levar para a glória! Quando Jesus segurou na mão de Pedro não o repreendeu, só questionou. Quando a gente vai corrigir alguém esta pessoa já está envergonhada por ter errado, você primeiro deve acolher, abraçar, amar, restituir e depois você corrige! Era assim que fazia Jesus, primeiro acolhia e depois questionava. Jesus tem poder sobre todas as coisas: pode multiplicar pães, curar doenças e calar a fúria da natureza! Comece a apresentar suas tempestades a quem pode calar essas tempestades! Ele é mesmo ontem, hoje e sempre! Ele tem poder sobre o teu coração! Ele é o Senhor da tua vida e da tua história!

Conclusão: 1- enquanto teu Senhor estiver intercedendo por você no monte, a tempestade nunca vai engolir você! 2- o texto diz que o barco estava longe da margem, a tempestade tomava conta e já era 3 da manhã. Não importa o quão distante você esteja, Jesus sempre vai te alcançar!! Jesus pode até demorar mas atrasado Ele não chega!!! 3- Aprendo ainda que não tempestade que não passe! Não há problema que dure para sempre, uma hora você vai passar!!! Se Ele disse que você chegará ... ahhhh você vai chegar!! Não há demônio que posso impedir os planos que Deus tem na sua vida!! Quando você colocar teu pé em Genesaré se lembre: NÃO HÁ TEMPESTADE QUE DURE PARA SEMPRE!!!

---PADRE FERNANDO HENRIQUE GUIRADO


Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos

São Tarcísio Mártir da eucaristia e patrono dos Coroinhas.


São Tarcísio

Mártir da eucaristia e patrono dos Coroinhas

15 de agosto

“Ó meu Jesus, ninguém Vos tirará do meu coração! (São Tarcísio)”.

O testemunho corajoso do jovem mártir Tarcísio foi, e continua sendo, para nós, como que uma profissão de fé em Jesus sacramentado.
O início do ano de 245 foi marcado por um acontecimento providencial para a bela Roma: o nascimento de Tarcísio, um dos mais ilustres filhos da cidade eterna. Seus pais eram pagãos, porém cidadãos virtuosos e de grandes princípios morais. Quando Tarcisio estava com 7 anos seus pais faleceram, e o nosso pequeno órfão foi adotado por um casal vizinho, que o tratava com carinho e com muito conforto.
Tarcísio, por toda a sua curta vida, lembrava-se dos ensinamentos de sua mãezinha e de seus pais adotivos recebeu uma formação Cristã exemplar.
Uma criança alegre, cheia de vitalidade, uma amigo para todas as horas, de uma fidelidade fraterna que impressionava a todos; assim era o pequeno Tarcísio.
Durante as brincadeiras, sempre nutriu repugnância pelas que levavam ao pecado; tinha um coração puro e uma palavra de estímulo para com todos.
Roma era por aquele tempo palco de perseguição aos cristãos. Seus pais adotivos lhe disseram que os pagãos desprezavam Deus dos cristãos e adoravam falsos deuses ao que seus colegas afirmavam que os cristãos eram criminosos... Seus pais também relatavam que os cristãos eram levados aos anfiteatros para serem devorados pelas feras e no caminho iam cantarolando serenos e felizes ao encontro da verdadeira felicidade.
Tarcísio chegou à seguinte conclusão: “Somente Cristo é capaz de dar forças aos cristãos, com paciência o martírio, perguntou a sua mãe, E eu posso ser cristão? É claro que sim! que santo desejo meu filho”.
Ó santo desejo, transformou sua vida; era como se a luz do céu tomasse conta de todo o seu ser. Tarcísio parecia um cordeirinho em busca de seu bom pastor. Desejava sempre mais conhecer as verdades da fé e os testemunhos heróicos dos mártires cristãos. Somente por Jesus desejava viver e dar à vida se fosse preciso.
O batismo, naquela época, era concedido geralmente aos adultos e depois de um longo período de preparação.
Quem desejasse o batismo, deveria primeiro ser apresentado ao bispo por um cristão fiel e que desse boas referências do aspirante. Depois de aprovado era admitido no catecumenato (período de conhecimento da doutrina cristã, assim como das exigências do ser cristão).
O santo desejo de tornar-se cristão, fez de Tarcísio um catecúmeno exemplar. Nosso jovem apresentou-se ao Papa para o grande escrutínio. O Santo Padre lhe perguntou: “Amas muito a Nosso Senhor?, respondeu ele, Sim, e não poderia viver sem amá-Lo. Foi Ele que me deu a vida e me chamou para o seio da Igreja”.
Era sábado de aleluia, durante a Vigília da Ressurreição. Tarcisio professa sua fé e é batizado, um grande o numero de Cristãos que participaram da cerimônia celebrada na catacumba de São Calisto, pelo Papa. Todos ficaram encantados com o testemunho de fé do jovem Tarcísio, seus olhos eram com que fachos de luz. Em seguida foi crismado e assim sendo, estava pronto para o testemunho.

O Martírio

Quando os primeiros cristãos eram levados às arenas para serem entregues às feras, eram-lhes permitidas algumas visitas no dia anterior, ao que a Igreja encarregava alguns escolhidos a levar-lhes a Sagrada Eucaristia, alimento para a vida eterna. Tudo era realizado às escondidas.
Os prisioneiros aguardavam, com alegria, o pão dos céus, o Cristo vivo, e para tanto eram escolhidas pessoas que não levantavam suspeitas.
O jovem acólito Tarcísio, com apenas 12 anos, ofereceu-se para levar o Ssmo. aos presos, apesar da opinião contrária do bispo, Tarcísio tomou Jesus em seus braços e dignamente embrulhado em finos panos, colocou-o sobre o peito e partiu em direção às prisões.
O Bispo disse-lhe: “Lembra-te Tarcisio, este tesouro é confiado aos teus cuidados... Cuidarás fielmente dos Sagrados Dons de Deus?, respondeu Tarcísio, Morrerei antes que não cumpra meu dever!”.
Pelo caminho, Tarcísio encontrou um grupo de rapazes que brincavam na rua e, ao vê-lo, o chamaram para brincar, pois faltava um elemento para o jogo, avistaram: “Aonde vais com tanta pressa? Vem jogar conosco! Só falta você!”. Tarcísio apressou o passo e seguindo em outra direção dizia ele: “Não posso agora. Tenho uma grande e importante tarefa a cumprir”. “Pois virás à força”, e todos caíram em cima de nosso jovem, que de forma nenhuma abria os braços. “Vos suplico, deixem-me continuar meu caminho”, disse Tarcísio. A curiosidade dos rapazes era grande, sobre o que ele guardava com tanta diligência, e cada vez mais forte batiam e espancavam o nosso santo coroinha.
O grupo aumentava, até que descobriram que ele era cristão e o chamavam de “burro cristão”; exigiam que entregasse o Sagrado Tesouro, ao que ele replicou: “Nunca, até que esteja vivo!”; foi cruelmente espancado, seu sangue corria, porém suas mãos não desgrudavam de Jesus eucarístico.
O soldado Quadrato, que também era cristão, espantou os rapazes e juntou Tarcisio que estava lavado em sangue: “O que fizeram contigo Tarcisio?”.
- Não pense em mim, eu estou com o meu Senhor nos braços, tome aos teus cuidados!.
O soldado, com os olhos cheios de lágrimas, tomou o jovem nos braços, seu aspecto era o de um anjo, seus olhos pareciam ver o céu aberto.
O jovem Tarcísio entrega sua santa alma a Deus e seu corpo martirizado é colocado na catacumba de São Calisto.
“Enquanto um criminoso grupo de fanáticos se atirava sobre Tarcísio, que levava a eucaristia, o jovem preferiu perder a vida antes de deixar aos raivosos o corpo de Cristo” (Papa Damaso).
Que o amor de Tarcísio pela eucaristia nos inspire e nos revigore a fé.

Amém!


            (Tirado da página Rainha Da Paz Iacri  )

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

"O peso da alma é o Amor" (S.Agostinho)


 “...amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração...amarás o teu próximo como a ti mesmo”
Paixão por Deus e compaixão pela humanidade: nestas duas atitudes Jesus condensa a totalidade dos mandamentos bíblicos, ou seja,  amar a Deus e amar o próximo. São dois amores diferentes, mas inseparavelmente unidos. Estão unidos, porque não se pode amar verdadeiramente a Deus sem amar o irmão. E o verdadeiro amor pelo irmão tem suas raízes no amor a Deus.
Estes dois mandamentos já estão presentes no AT, mas separados (Dt. 6,4; Lev. 19,18). Jesus tem a genialidade de mostrar que o “segundo é como o primeiro”, e não só em importância, mas em essência, de tal maneira que nenhum dos dois pode existir sem o outro. 
A pergunta feita a Jesus torna-se ocasião para ajudar a recuperar o essencial, descobrir o “espírito perdido”: qual é o mandamento principal? O que é essencial? Onde está o núcleo de tudo?
O Amor, essência de Deus, é também essência do ser humano, criado à Sua imagem. Quando amamos não é necessário dizer que Deus está em nosso coração porque, de uma maneira melhor, estamos no coração de Deus, participamos do próprio dom de seu Amor. 
Quando esquecemos o essencial, facilmente corremos o risco de mergulhar na mediocridade piedosa ou na casuística moral, que não só nos incapacitam para uma relação sadia com Deus, senão que podem desfigurar e destruir as relações com as pessoas. 
O seguidor de Jesus sabe que toda expressão de amor tem um alcance divino. Uma das maiores razões para o Amor ser uma experiência de expansão se deve à sensação de imortalidade e eternidade que nos proporciona. Quem ama vê o tempo se alargar e a vida ganhar mais sentido.
Em outras palavras, o Amor traz em si a marca da eternidade, pois se trata da “faísca de Javé”, colocado por Deus no coração do ser humano. O Amor impregna o ser humano. Amor não é apenas uma função, uma área, um momento. Amor é onipresença. 
O amor nasce em Deus como um rio imenso que envolve toda pessoa, iluminando e transformando sua existência. O cristão não se encontra submetido a uma espécie de exigência tirânica, obrigado a cumprir, no limite de suas forças, alguns mandatos alheios a seu ser.
“Amar a Deus com todo o coração” é reconhecer humildemente o Mistério último da vida, orientar confiadamente a existência de acordo com sua vontade: amar a Deus como força criadora e salvadora. 
Nas duas tradições, judaica e cristã, o centro da pessoa é o coração. Amar é fazer tudo com o coração.
Falamos do Amor Ágape que transborda, que nada pede em troca. Amor Ágape não é o amor que sacia minha sede, pois ele não nasce da minha sede, mas ele nasce da minha fonte. Não é o amor da falta, da carência, mas é o amor da plenitude. 
É esta gratuidade do amor em que se ama por nada. Amar sem ter nada de particular para amar. Amor como dom gratuito de si mesmo. Não é motivado pelo valor do outro, isto é, pela recompensa que meus gestos de amor podem trazer-me. Este amor não implica necessariamente, mas também não exclui a reciprocidade do dom de si mesmo. Com efeito, neste caso não se ama o outro porque ele é bom, mas para que seja melhor, já que o amor quer o bem do amado. 
O amor ágape é expansivo: nos alarga através dos nossos membros, mãos e pés.
Podemos dizer que o amor tem mãos e pés: mãos que cuidam, curam, abençoam... e pés que nos arrancam de nossos lugares rotineiros e nos deslocam para as margens, para o mundo dos pobres... 
Quando o Amor nos habita tudo se torna sagrado. Não há “Terra Santa”, há uma maneira santa de caminhar sobre a terra. “O Amor é o que diz ‘sim’, em nós”: sim à vida, sim ao compromisso, sim à compaixão... 
O texto do Evangelho de hoje não só reafirma o amor ao próximo, mas, ao mesmo tempo, realça sua modalidade: “ame a seu próximo como a si mesmo”. O que significa amar o próximo “como a si mesmo”? 
Segundo a Biblia, é a prioridade do outro em relação a mim.  “Amar o outro como a si mesmo” não quer dizer, portanto, amar o outro do mesmo modo com que o eu se ama naturalmente e espontaneamente, e sim colocando o outro no lugar do próprio eu, afirmando sua precedência e sua prioridade sobre o eu e, assim, impedindo o movimento originário do eu em direção ao próprio eu, a fim de instaurar o movimento do eu em direção ao outro. 
Podemos, então, entender o “como a si mesmo” como: “ame seu próximo, é você mesmo”; “esse amor ao próximo é você mesmo”; “ame o seu próximo, tudo isso é você mesmo”; “ame o seu próximo, porque o seu próximo é justamente como você mesmo”. 
O mandamento bíblico do amor implica, pois, a “inversão da direção de vida do ser humano natural” (movimento “do eu em direção ao eu”) e a instauração da vida como vocação para amar. Trata-se do amor de alteridade onde o eu sai de sua pátria para não mais aí voltar, e sim para encontrar uma outra pátria. 
O mandamento do amor é, portanto, um “contínuo êxodo” do eu para o outro. É da presença desse próximo que o eu é liberto e gerado para a nova identidade de responsável, de quem deve responder e não pode deixar de responder pelo outro que passa ao seu lado. 
Cada vez que o ser humano ama a fundo perdido, os ciclos vitais se concentram. Só aquele que ama vive de verdade, amadurece antes. E é que o amor dá à liberdade a densidade de destino. O amor só se compreende a si mesmo na autodoação, no descentramento de si. 
O amor é uma força unitiva: une os corpos, as mentes, os espíritos e as vontades; une as pessoas e as sociedades, não para além de suas diferenças, mas precisamente com suas diferenças. O amor converte a diferença em riqueza; o amor enche a vida de sentido. Ali onde falta o amor, as pessoas se sentem vazias e se separam cada vez mais umas das outras.  O mais grave é que ali onde falta o amor corre-se um sério perigo de morte. 
Nosso coração exige de nós que as coisas mais belas, as mais amadas - começando pela própria vida e pelo próprio amor - não tenham ocaso. Este é nosso destino feliz, bem-aventurado e abençoado, que já começou, ainda que não tenha chegado à sua plena manifestação. 
Texto bíblico:  Mt 22,34-40 
Na oração: - entoar um hino de louvor e gratidão a Deus pelo Seu “amor em excesso” que se revela no cotidiano da vida;
 - ter sempre presente na memória que fomos criados para viver em relação de amor e solidariedade com todos. 
Pe. Adroaldo Palaoro sj
Diretor do Centro de Espiritualidade Inaciana - CEI

"Prece"



Senhor, que és o Céu e a Terra, que és a Vida e a Morte

O Sol és Tu e a Lua és Tu e o Vento és Tu, também

Onde nada está, Tu habitas
Onde tudo está - (o Teu templo) - eis o Teu corpo
Dá-me alma para Te servir e alma para Te amar.

Dá-me vista para Te ver sempre no Céu e na Terra
Ouvidos para Te ouvir no Vento e no Mar
E mãos para trabalhar em Teu nome. Torna-me puro como a Água e alto como o Céu

Que não haja lama nas estradas dos meus pensamentos
Nem folhas mortas nas lagoas dos meus propósitos
Faze com que eu saiba amar os outros como irmãos
E Te servir como a um pai.

Minha vida seja digna da Tua presença
Meu corpo seja digno da Terra, Tua cama
Minha alma possa aparecer diante de Ti
como um filho que volta ao lar
Torna-me grande como o Sol
para que eu Te possa adorar em mim

Torna-me puro como a Lua
para que eu Te possa rezar em mim
E torna-me claro como o Dia
para que eu Te possa ver sempre em mim

Senhor, protege-me e ampara-me
Dá-me que eu me sinta Teu

Senhor, livra-me de mim!

"Prece" - Fernando Pessoa

terça-feira, 8 de agosto de 2017

SEJA O AMIGO QUE VOCÊ GOSTARIA DE TER !


Missa por Cura e Libertação – 06/08/17 - Encerramento da Semana de Restauração das Famílias

Tema da pregação: SEJA O AMIGO QUE VOCÊ GOSTARIA DE TER !

"Primeira pergunta que faço para você: você tem amigos? Segunda pergunta: quem são seus amigos? Você de fato os conhece? Diante de quem você pode celebrar as suas vitórias e diante de quem você pode chorar suas derrotas? Jesus tinha doze apóstolos, porem, sempre teve três mais íntimos, mais chegados: Pedro, Tiago e João. Eram amigos de todas as horas. Em Mateus 26,37- está que os dois filhos de Zebedeu eram Tiago e João. Em Marcos 14,32-35 – percebo que Pedro, Tiago e João eram os mais chegados a Jesus. Pedro, Tiago e João eram grandes parceiros de Jesus. Jesus tinha liberdade de ter intimidade com eles três, não se preocupava com o comentário dos outros apóstolos. Pessoas que ficam cobrando amizade não são amigos. Quem cobra amizade não é amigo! Amor de amigo não se cobra, se dá, se consome, corre riscos! Começou a cobrar sua amizade, fique esperto! Essa pessoa não quer uma relação amigável contigo! Jesus tinha afinidade diante dos doze para mostrar afinidade com quem ele quisesse, não fazia média com ninguém, não fazia bajulação. Quem faz muita média quebra cara cedo!
Mateus 17,1- a montanha se chama Monte Tabor. Transfigurar significa mudar a aparência. Jesus revelou sua glória, seu poder, sua divindade perante seus três amigos mais íntimos. Mateus 26,36-38 – foi na parte inferior da montanha, no Monte das Oliveiras novamente com Pedro, João e Tiago. Aqui no Monte das Oliveiras começa a desfiguração. Sua alma está em uma tristeza de morte. Se na transfiguração a aparência muda para melhor na desfiguração a aparência é deformada: tristeza, fraqueza e angustia. Seus três amigos estavam tanto na transfiguração quanto na desfiguração! Daí aprendemos que amigo de verdade, que você precisa querer na sua vida é aquela pessoa que você pode mostrar para ela a sua deformidade, os seus pecados, as suas fraquezas, as suas misérias, seus erros e tristezas. Amigo de verdade estará com você na sua desfiguração humana, mas também no Tabor da sua vida, na hora do seu sucesso, da sua vitória e da sua alegria! Você tem amigos de verdade? Não responde, pense! A maioria dos seus amigos, das pessoas que dizem ser seus amigos, não estará com você quando você estiver no Monte Tabor, porque tem muita gente que quando vê tua vitória, teu sucesso, tua felicidade, lateja de inveja!!! Se você tem esses amigos no Tabor você é milionário, bilionário, nunca perca esses amigos na sua vida! Todo traidor foi teu amigo um dia, por isso traição dói tanto, alguém que a gente conviva, amava e tinha relação de intimidade! Jesus foi traído por causa de dinheiro. Traição dói, deixa marcas, seqüelas, nos deixa perdidos. Peça ao Espírito Santo que te dê discernimento para você conhecer quem está do seu lado! É melhor um inimigo declarado do que um falso amigo mascarado! Você talvez nunca tenha lido esse texto assim, mas é assim que ele nos diz!

Conclusão – Provérbios 17,17 – em todo tempo ama o teu amigo para a hora da angústia ter um irmão. Amizade é uma construção diária. Amizade é uma construção paulatina, pés pós pés, sem atropelo. Diz a palavra: não tenha pressa em chamar ninguém de amigo! Não se iluda: tem gente que ama a imagem que ela criou de você, porque no dia que você quiser ser você, ela vai se afastar de você! Tem gente que se aproxima e diz que te ama por interesse, não confunda amigo com cliente, amigo é amigo, cliente é cliente! Para te chamar de amigo a pessoa tem que ter coragem, para ser um amigo a pessoa tem que ter coragem de ver o sucesso do amigo sem sentir inveja e ir ver o colega na pior também e dizer: eu ficarei contigo, eu não arredo os meus pés do teu lado! Se você encontrou assim você é milionário! Se mesmo na sua inutilidade alguém insiste em ficar do seu lado te amando você encontrou um tesouro: ama o que você é e não o que você tem! Amizade amadurecida está perto sem sufocar mas também está distante a ponto que eu não perca de vista. João 15,12-15 – ter amigo é dar a vida sem cobrar nada em troca. Começou a cobrar esquece: não é amigo! Jesus nos considera amigo. Amigo é alguém que você pode se apresentar sem maquiagem, com sua cara como ela é! É alguém que você tem tempo de rasgar o seu coração, que te apóia em algumas coisas e em outras não! Não deixe as pessoas te classificarem naquilo que você não é porque no primeiro erro seu, todo mundo vai te julgar! Não deixe te transformarem em um Deus, você é só um ser humano pecador e limitado! Ser amigo é guardar segredo do outro, amigo não conta, não espalha, não diz as coisas em código para ferrar o outro, isso não é amigo! A bíblia diz: não confieis em muitos, cuidado para quem você conta os seus segredos! O que te contam: guarde! Quando alguém conta o segredo do outro é feio para ele. Quem não guarda segredo não deve ser amigo de ninguém! Seja leal aos seus amigos, lealdade é defender o seu amigo principalmente quando ele não estiver presente! Se você na ausência do seu amigo você ajuda a sustentar a conversa você é serpente, cobra, traidora! Amigo tem que ter lealdade e você defendê-lo na sua ausência. Jesus Cristo nos defendeu e nos defendeu dos ataques e das mentiras de Lúcifer, de Satanás. Que seja Jesus nosso maior exemplo de relacionamento humano, de amor ao próximo. Quantos amigos que você tem é seu amigo verdadeiro? Conserve essa amizade seja ele de qual religião ele for!! Quando Jesus foi à casa de Zaqueu não se contou o diálogo entre eles. A conversa de um amigo é secreta, é de Deus! Seja o amigo que você gostaria de ter! Termino novamente com as mesmas perguntas para você pensar: você tem amigos de verdade? Tem amigos que irão com você para o Tabor e para o Getsêmani? Quem são seus íntimos que você pode arrancar a máscara e mostrar sua podridão? No mar da Galiléia Jesus apareceu para Pedro depois da traição, mas por amá-lo tanto tanto tanto entregou a ele (Pedro) a sua igreja e disse a ele : Pedro mostra para meus filhos que Amigo é aquele que também sabe perdoar a traição do outro! Peça ao Espírito Santo fortaleza e discernimento! Coloque hoje no coração de Jesus os seus amigos de verdade. Não tenha pressa para chamar ninguém de amigo, mas se chamar que seja alguém que tenha coragem de subir no Monte Tabor mas também ir ao Monte das Oliveiras com você: na saúde e na doença, na alegria e na tristeza"!

--Padre Fernando Henrique Guirado

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Impossível viver sem Ti.


Mesmo que as serras mudem de lugar,
Ou que as montanhas balancem,
Meu amor para contigo nunca vai mudar,
Minha aliança perfeita nunca há de vacilar
-          diz o Senhor, o teu apaixonado. (Is 54,10)
  
“Não tenhas medo que fui eu quem te resgatou,
Chamei-te pelo próprio nome, tu és meu!
Se tiveres de atravessar pela água,
Contigo estarei
E a inundação não te vai submergir!
Se tiveres de andar sobre o fogo, não te vais queimar,
As chamas não te atingirão!
Pois eu sou o Senhor, o teu Deus,
O Santo de Israel, o teu Forte!
Para pagar tua liberdade eu dei o Egito!
Para ficar contigo, entreguei a Etiopia e Sabá!
Pois és muito precioso para mim,
e mesmo que seja alto o seu preço, é a ti que eu quero!
Para te comprar, eu dou, seja quem for;
Entrego nações, para te conquistar!
Não tenhas medo, estou contigo!
Is 43,1-4  
Silêncio...   
Deus e seus sacramentos
Difícil viver contigo.
Impossível viver sem ti.  
Demasiado tarde para poder deixar-te.
Demasiado cedo para seguir tua causa sem sentir ausências. 
Inevitavelmente atado a teu mistério.
Impossível encontrar outra sedução mais livre.  
Não posso abarcar teus planos nem reter tua presença.
Mas ninguém me oferece mais proximidade que tu. 
Somente na última solidão nos encontramos frente à frente.  
Mas que seria de mim sem os miúdos sacramentos,
mananciais cotidianos onde bebo sorvo a sorvo o dom de teu futuro. 
Benjamin González Buelta sj

Entrar na correnteza da alegria.


Senhor, dá-nos a alegria que enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus, deixando-se salvar por ele e assim serem libertados do pecado, do vazio existencial, da tristeza individualista, da consciência isolada.
Não permitas, Senhor, que nossa vida interior se fecha em nossos próprios interesses, não deixando assim espaço para os outros, onde não se ouve a tua voz, onde não se goza da doce alegria do teu amor.
Inspira-nos, Senhor, a diminuir nosso ritmo de vida, para olhar nos olhos e escutar, para acompanhar quem ficou caído à beira do caminho, para reconhecer o outro, curar feridas, construir pontes, estreitar laços e ajudar e ajudar "a carregar a carga uns dos outros".
Enche-nos, Senhor, do entusiasmo de fazer o bem, de acolher o amor infinito e inabalável que nos dás.
Permite-nos, Senhor, levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos deixa e que sempre nos pode restituir a alegria e a bondade.
Que nunca nos deixemos fazer de mortos, sem ânimo, suceda o que suceder.
Que nada possa mais do que a Vida no Espírito que nos impele a ir para diante com alegria!
Não fujamos da ressurreição de Jesus, Amém!

(In: A alegria do Povo de Deus rezando com Francisco. Orações inspiradas nas palavras do Papa Francisco na Exortação Apostólica A Alegria do Evangelho. BH. Comunidade do retiro das pedras)

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Viagem ao deserto.


abre-nos, Deus, a porta 
através das águas 
para a grande viagem no deserto:
o combate com a morte no campo da vida, 
a travessia dos limites, a nebulosa dos olhos
não se ensurdeça o nosso coração 
porque a luta noctuma com o teu Nome 
nos deixou no corpo marcas
dá-nos a graça de atravessar o riacho da vida 
mesmo coxeando; 
que caminhemos com a ligeireza 
e a elegância do animal 
que busca o esplendor do verdadeiro 
nas coisas provisórias
e que desse combate com as imagens
nos aproximemos do horizonte da tua casa 
donde vejamos as sementes do amor cobrindo a eira,
Deus que ligas o céu e a terra no teu Filho Jesus 
e no Espírito.
José Augusto Mourão
In O Nome e a Forma, ed. Pedra Angular

#Santo do dia - São João Maria Vianney.



João Maria Batista Vianney sem dúvida alguma tornou-se o melhor exemplo das palavras profetizadas pelo apóstolo Paulo: "Deus escolheu os insignificantes para confundir os grandes". Nascido em 8 de maio de 1786, no povoado de Dardilly, ao norte de Lyon, França, é o quarto dos sete filhos de Mateus e Maria. Gostava de frequentar a igreja e, desde a infância, externava seu desejo de ser sacerdote.

Vianney só foi para a escola na adolescência, quando abriram uma na sua aldeia, escola que frequentou por dois anos apenas, pois precisava trabalhar no campo. Foi quando se alfabetizou e aprendeu a ler e falar francês, pois em sua casa falava-se um dialeto regional.

Para seguir a vida religiosa, enfrentou a oposição de seu pai. Mas com a ajuda do pároco, aos 20 anos de idade foi para o Seminário de Écully, onde os obstáculos se davam por sua falta de instrução.

Foram poucos os que vislumbraram a sua capacidade de raciocínio. Para os professores e superiores, era considerado um rude camponês, sem inteligência suficiente para acompanhar os colegas nos estudos, especialmente de Filosofia e Teologia. Entretanto era um verdadeiro exemplo de obediência, caridade, piedade e perseverança na fé em Cristo.

Em 1815, João Maria Batista Vianney foi ordenado sacerdote. Mas com um impedimento: não poderia ser confessor. Não era considerado capaz de guiar consciências. Para Deus, porém, ele era um homem extraordinário, e foi por meio desse apostolado que o dom do Espírito Santo manifestou-se sobre ele. Transformou-se num dos mais famosos e competentes confessores que a Igreja já teve.

Durante o seu aprendizado em Écully, o abade Malley havia percebido que ele era um homem especial e dotado de carismas de santidade. Assim, três anos depois, conseguiu a liberação para que pudesse exercer o apostolado plenamente. Foi então designado vigário geral na cidade de Ars-sur-Formans, paróquia ao norte de Lyon evitada por outros sacerdotes, pois possuía apenas 230 habitantes, todos não-praticantes e afamados pela violência. A igreja ficava vazia e as tabernas, lotadas.

Ele chegou em fevereiro de 1818, numa carroça, transportando alguns pertences e o que mais precisava, seus livros. Conta a tradição que, na estrada, ele se dirigiu a um menino pastor dizendo: "Tu me mostraste o caminho de Ars; eu te mostrarei o caminho do céu". Hoje, um monumento na entrada da cidade lembra esse encontro.

Treze anos depois, com seu exemplo e postura caridosa, embora severa, conseguiu mudar aquela triste realidade, invertendo a situação. O povo não ia mais para as tabernas, em vez disso lotava a igreja. Todos agora queriam confessar-se, para obter a reconciliação e os conselhos daquele homem que eles consideravam um santo.

Na paróquia, fazia de tudo, inclusive os serviços da casa e suas refeições. Sempre em oração, comia muito pouco e dormia no máximo três horas por dia, fazendo tudo o que podia para os seus pobres. O dinheiro herdado com a morte do pai gastou com eles.

A fama de seus dons e de sua santidade correu entre os fiéis de todas as partes da Europa. Muitos se dirigiam à paróquia de Ars com um só objetivo: ver o cura e, acima de tudo, confessar-se com ele, mesmo que, para isto, esperassem horas ou dias inteiros. Assim, o local tornou-se um centro de peregrinações.

O Cura de Ars, como era chamado, nunca pôde parar para descansar. Morreu serenamente, consumido pela fadiga, na noite de 4 de agosto de 1859, aos 73 anos de idade. Muito antes de ser canonizado pelo papa Pio XI, em 1925, já era venerado como santo. O seu corpo, incorrupto, encontra-se na igreja da paróquia de Ars, que se tornou um grande santuário de peregrinação. São João Maria Batista Vianney foi proclamado pela Igreja Padroeiro dos Sacerdotes, e o dia de sua festa, 4 de agosto, escolhido para celebrar o Dia do Padre.

Fonte: Paulinas

http://pvfranciscanos.blogspot.com.br

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Oração aos Pés da Cruz.


Ó meu Jesus, dai-me a vossa força quando a minha
pobre natureza se revolta diante dos males que a ameaçam,
para que possa aceitar com amor as
penas e aflições desta vida de exílio.
Uno-me com toda a veemência aos vossos méritos,
às vossas dores, à vossa expiação, às vossas lágrimas,
para poder trabalhar convosco na obra da salvação.
Possa eu ter a força de fugir ao pecado,
causa única da vossa agonia, do vosso suor de sangue, e da vossa morte.
Afasteis de mim o que vos desagrada,
e imprimi no meu coração com o fogo do
vosso santo amor todos os vossos sofrimentos.
Abraçai-me tão intimamente, em abraço tão forte e tão doce,
que nunca eu possa deixar-vos sozinho no meio dos vossos cruéis sofrimentos.
Só desejo um único alívio: repousar sobre o vosso coração.
Só desejo uma única coisa: partilhar da vossa Santa Agonia.
Possa a minha alma inebriar-se com o
vosso Sangue e alimentar-se com o pão da vossa dor!
Amém.
By Maria Fernanda


A LUZ VERMELHA.


A LUZ VERMELHA - "No decorrer dos séculos, foi desenvolvendo na Igreja a consciência da vida Eucarística, além das celebrações da Santa Missa, iniciou um prolongamento de adoração a Jesus presente nas espécies do pão e do vinho. As reservas eucarísticas que eram separaras para os enfermos, também continuam a comunicar a presença real e divina de Jesus em nosso meio. Por isso, que nas Igrejas temos os tabernáculos ou sacrários, onde são depositadas as reservas eucarísticas, para o doentes e para a adoração dos fiéis, nos momentos de orações prolongadas. É uma graça de Deus chegar na Igreja e encontrar a luzinha vermelha ao lado do sacrário a sinalizar que a presença amorosa de Deus Filho ali se faz presente. Nossos templos não estão e não são vazios, estão repletos da presença de Jesus na Eucaristia. Quando entrarmos em qualquer Igreja católica, não meçamos esforços para nos ajoelharmos diante de Jesus que está no sacrário. Dizia Chiara Lubic que: " Enquanto existir a Eucaristia eu nunca estarei só. Enquanto existir um sacrário, não terei solidão”. Não nos sintamos sozinhos, Ele nos espera há mais de 2 mil anos nas Igrejas, uma oportunidade ímpar para enamorarmo-nos ao Seu coração. Não deixemos de fazer visitas ao Senhor nas Igrejas. Uma alma eucarística é uma alma forte, capaz de vencer o demônio e as tentações de cada dia. Graças e louvores sejam dadas a todo momento, ao Santíssimo e diviníssimo Sacramento"!

(Anacleto Pe Ricardo)


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Visita de Jesus.


Essa, é a história de um rapaz que tinha muitos problemas. Constantemente, em suas orações, ele pedia que Jesus viesse visitá-lo no seu sofrimento. Um dia, Jesus bateu a sua porta, ele maravilhado, convidou-o a entrar, e Jesus sentou-se no sofá da sala.
Ah! o rapaz preparou tudo. Na mesinha de centro encontrava-se uma Bíblia aberta no Salmo 91. Numa das paredes estava pendurado um bordado com o Salmo 23 e na outra um quadro da santa ceia. E o rapaz meio sem jeito disse:
“Senhor Jesus”,  ”em primeiro lugar gostaria de dizer que é uma honra recebê-lo em minha casa, conforme o Senhor deve saber,estou passando por algumas dificuldades e preciso muito da Sua ajuda…”

“Filho”, interrompeu Jesus, “antes de conversarmos sobre os seus pedidos, gostaria de conhecer sua casa Filho, onde é o lugar que você dorme?” No mesmo instante o rapaz se lembrou que guardava, no quarto, umas revistas terríveis, uma porção de DVDs, posters.. e se apressou em dar uma desculpa:
“Naaaaaaão, Jesus, olha lá não! É que eu… eu… Olha! Meu quarto não está arrumado!” Senhor.
“Bem”, disse Jesus, “e a cozinha filho, posso conhecer sua cozinha?”
O rapaz coçou a cabeça e lembrou que na cozinha havia algumas garrafas de bebida que ele não gostaria que Jesus visse.
“Senhor, desculpe, mas prefiro que não”, respondeu o rapaz, “a minha cozinha está vazia, não tenho nada de bom para oferecê-lo.”
Neste instante um barulho forte interrompe a conversa.
Era alguém que batia furiosamente na porta, o rapaz se levantou, assustado, e foi ver quem era.
Abriu a porta meio desconfiado, e viu que era o diabo.
“Sai da frente garoto que eu quero entrar!”, gritou o tentador.
“De jeito nenhum”, respondeu o rapaz, e assim começou a briga. Com muita dificuldade o homem conseguiu empurrar o diabo e fechar a porta.
Cansado, o rapaz voltou para sala e continuou:
“Então, Jesus”, disse ele, “como eu estava falando com o Senhor, estou precisando de tantas coisas…”
Mas, outra vez a conversa é interrompida por um barulho forte que vinha da janela do quarto. O rapaz correu para ver quem era e ao abri-la se deparou, novamente, com o diabo:
“Agora não tem jeito, eu vou entrar!”, disse o inimigo.
Mais uma vez o rapaz se debateu com ele e conseguiu trancar a janela.
“Senhor”, disse ele, “desculpe a interrupção, conforme lhe dizia…”
Outra vez, dos fundos da casa, se ouvia tamanho barulho como se alguém quisesse arrombar a porta, era novamente o diabo: “Eu quero entrar!”
O rapaz, já exausto, lutou com ele e conseguiu mantê-lo do lado de fora.
Ao voltar, contrariado, disse a Jesus:
“Eu não entendo. O Senhor está na minha casa e por que o diabo fica insistindo em entrar?”
“Sabe o que é meu filho”, explicou Jesus,
“Filho é que na sua casa você só me deu a sala.”
O rapaz humildemente entendeu a lição de Jesus e fez uma faxina na casa para entregá-la aos cuidados do Senhor.
Neste instante, o diabo bateu mais uma vez à porta. O rapaz olhou para Jesus sem entender, e o Senhor disse:
“Deixa que eu vou atender.”
Quando o diabo viu que era Jesus, que atendia a porta, disse:
“Desculpe, foi engano,” e sumiu rapidinho. ”
Muitas vezes, é assim que acontece com o nosso coração. Entregamos a Jesus só uma parte dele, apenas a sala, ficando as dúvidas a morar no quarto, o descaso na cozinha, o medo na varanda, então lutamos e não vencemos porque a casa está dividida.
“Os olhos do Pai passeiam por toda a terra para se mostrar forte para com aqueles cujo coração é inteiramente seu.”
Ai ele vai chegar ate você e vai dizer: “Desculpe, foi engano”. Medite nisso, “Tudo posso naquele que me fortalece.” (Fl 4,13)